Acesso à
Área acadêmica
 
    Destaques
 
    Calendário e Manual
 
    Lista de material
 
    Esportes
 
    Belas Artes
 
    Ideal Med
 
    CONTATO
 
    Comunicados gerais
 
    Lista de Transportes
DESTAQUES

Crônicas IDC 2015 - 30/09/2015

Todos os anos, no último dia de viagem do IDC, as equipes se reúnem para a última prova, que consiste na escrita de uma crônica que expresse o significado da viagem na vida dos alunos. Leia abaixo as deste ano:

 

Ônibus 1 e 4

Preparação alguma prepara de verdade, nenhuma expectativa realmente se concretiza. A vida é uma explosão de cores na qual a gente se veste e vai dançar sem o peso da certeza de seu acontecimento. É um nascer e um pôr do sol visto de todas as áreas do planeta, e foi assim que me senti antes da viagem começar. Todos os responsáveis juntos como uma só paleta visando a obter a pintura mais linda vendo beleza no inesperado. “O que realiza a viagem é a oração de quem fica”, de quem fica e do que fica, todo e qualquer momento e sentimento que aceitamos em nossos corações. Viver é uma obra de arte em andamento.

Cada tonalidade tem um espectro da anterior, uma sobreposição de todas as visões obtidas através da vivência, assim funciona para a entrada e saída do sol do horizonte e para a decorrência de cada instante presenciado. A viagem é abençoada por quem e pelo que fica, uma repetição da aparição até que as vistas escureçam. Somos formados por tudo que chega a nos tocas, como energia ou de forma tátil, cada um é uma cor única.

Amarelo. O tom que dá início e semeia a presença do novo chegando, passando alegria a quem embarca no que é avistar algo único, enchendo de esperança cada vão deixado pela ansiedade. É o costume a algo diferente de toda a rotina seguida anteriormente, a capacidade de se disponibilizar a sentir por você mesmo e pelos colegas de quarto, parceiros da contemplação dos fenômenos naturais terrestres e psíquicos de todos nós. É apreciar de braços abertos cada rosto, brincadeira e festa novos, com aquele gostinho de tudo em seu lugar, mesmo na desordem de sentimento e fatos externos programados para um futuro agora já tão presente. É orar independentemente da fé ou da falta dela, fazendo tudo o que vier permanecer para abençoar a viagem de cada uma de nossas almas.

Laranja. É decorrer, intensidade, quando já estava presente no acontecimento me deixando levar nas inovações, tentativas de entreter um dia-a-dia coberto do fardo que é a preocupação com o além do próprio momento. É se jogar, acordar cedo com um banho gelado de coragem para sentir e vivenciar cada vez mais, é a fase intermediária do nascer e do pôr do sol na qual você já está sentado e arquitetado perante o novo, mantendo o amarelo e assim prevendo o próximo tom.

Vermelho. É o denso, o marcante, a nostalgia existente no presságio do que ainda não acabou. E não vai acabar. É cada riso belo motivado por um riso anterior, cada arrepio e gota de suor derramada em prol do seu grupo, é cada angústia que poderia ter sido evitada ou amenizada, mas sendo assim não equilibraria o contraste das cores as quais compõem o nosso roteiro de viagem. Cada idealização do findar da vivência divertida e esperançosa construída em um ;único cenário, o qual é extensível para todos, se expandindo com base na saudade. Palavra sem tradução e sem decodificação, apenas o sentir resume. E assim como cada impressão visual demarca um espaço na gente,, entre noites mal dormidas e refeições corridas, o IDC vai além do horário de saída e chegada ou o tempo gasto no ônibus. É tudo o que está por trás, todas as matizes e cores primárias usadas na composição de uma nova, combinações inventadas e que dão certo, as quais mancham e inundam todos os corações de amor. A vida é 1% o que te acontece e 99% o que você enxerga a partir disso, os bastidores fazem sim a diferença, uma equipe preparada desde a produção do script até a hora dos créditos. Isso é o que fica, tudo. Todos os devaneios em torno da semana seguinte à sua jornada mesmo antes dela ocorrer, todo sentimento envolvido no processo de criação da obra, até o instante no qual ela está pronta e você se identifica totalmente com o feito. É abrir os olhos e enxergar o novo composto por antigo, a modéstia de se render à vida. E ao final do nascer do por do sol, poder reconhecer suas cores nele. Assinar embaixo e deixar ir, com a certeza de que o válido sempre fica.

 

Ônibus 2 e 5

          Estou cansado após 5 dias bastante agitados de uma viagem inesquecível. Depois de 3 anos de Ensino Médio percebo que chegou ao fim, mas carrego lembranças que jamais se apagarão. O IDC representa um momento de interação entre os membros da escola, a qual sempre recordarei, por tratar-se verdadeiramente de uma família. O caminho para casa é longo e meus pensamentos permeiam em torno de tudo aquilo vivido nessa viagem e só confirmam o quanto o Ideal é um colégio incomum.

            Era uma segunda-feira quando entrei naquele ônibus lotado, já sabia que não dormiria e confesso que isso nem estava nos meus planos. A euforia era geral e a festa começou quando viramos a esquina. Em poucas horas de viagem, tive a oportunidade de interagir com pessoas desconhecidas. Então aquele ônibus simbolizou para mim mais do que um meio de transporte e sim um forte elo atado às brincadeiras.

            Não posso esquecer dos nossos mestres, os quais nos acompanharam nessa marcante e prazerosa jornada. Com uma importância imensurável a cadeia de professores e coordenadores do Colégio Ideal comprova o motivo de essa escola não ser comum em meio a tantas outras. Mais do que educadores que se preocupam em transmitir conhecimento intelectual, eles se mostram como verdadeiros amigos e conselheiros, o que torna o ambiente escolar, geralmente cansativo e monótono, em um verdadeiro lar, a família Ideal.

            Quando em muitas ocasiões me senti inseguro e incapaz, eles estavam lá para me dar um sentido o qual levasse à vitória. Quando tudo parecia estar perdido, um olhar, um abraço, ou até uma palavra de apoio diziam, mesmo que em silêncio, “filho, você é capaz, eu confio em você”. Me sinto privilegiado por não ter apenas professores, e sim verdadeiros anjos enviados por Deus para fazer a diferença em nossas vidas. Obrigado, mestres! Vocês me mostraram que o importante não é ser uma pessoa sempre séria, livre de sentimentos para não ser chamado de imaturo ou infantil, mas me ensinam a realizar o Carpe Diem.

            Enfim chego em casa, entro no meu quarto e começo a desfazer as malas. As malas são desfeitas mas meu coração permanece intacto. Todas as lembranças vem à tona e me sinto nostálgico por saber que nunca mais viverei momentos tão marcantes. Dias surreais que vivi e são idealizados por vários jovens. Ou não, né? Afinal, quem não gosta da aula de história na piscina com o Betão? Ou acordar com os delicados carinhos dos dirigentes? São esses detalhes que fazem a diferença e me fazem amar cada vez mais o Ideal.

É. Chegou ao fim! Vai ser difícil acordar de manhã e não ter mais aquele uniforme preto e branco para vestir, não seguir mais o mesmo caminho todos os dias para ir em direçãoo a escola, não encontrar os mesmos amigos que me acompanharam ao longo dessa jornada. O sentimento que fica é de saudade e, talvez, até de medo por agora ser adulto e ter de lidar com o mundo afora, com a concorrência, com o mercado de trabalho. Mas, esta equipe Ideal que me proporcionou momentos tão felizes também me ensinou a não abaixar a cabeça e que, não importa o empecilho prostrado em minha frente, sou capaz de vencer, sou capaz de alcançar a vitória, porque eu sou Ideal. Obrigado! O IDC só reafirma todas as qualidades desses personagens que fizeram parte da minha história. Vocês são os melhores e sempre estarão presentes em meu coração.

 

 

Ônibus 3 e 6        

             “Última chamada do voo 2015 3-6-0, portão I.”

            Assim que escuto o aviso, estremeço e a insegurança volta, percebo que não posso mais adiar esse futuro inevitável, me levanto, pego toda a minha bagagem acumulada durante esses anos e me encaminho ao embarque. Entro no avião e enquanto procuro meu assento, reconheço alguns rostos que me ajudaram até aqui, outros não tão familiares, mas que fizeram parte do que estou vivendo e também alguns que desconheço.

Logo que me acomodo, avisto um comissionário de bordo que me remete à lembrança de pessoas mais experientes que me deram assistência quase o tempo todo (mais especificamente 6 dias por semana), por meio de ensinamentos e intimidades, tendo um papel fundamental na minha decisão sobre o voo que iria escolher. O piloto se apresenta como responsável pelo direcionamento da viagem, como aqueles que de forma direta e às vezes indireta, não mediram esforços para me auxiliar a descobrir mais sobre mim mesmo e sobre meu destino. Desperto do meu pensamento quando o piloto anuncia que passaríamos por uma turbulência, fico um pouco apreensivo, mas me acalmo quando o piloto fala que logo passaria e sairíamos juntos desse contratempo. Percebo então que a divergência entre as funções do comissionário de bordo e do piloto não é tão grande, ambos querem nos auxiliar a longo da viagem e fazer com que cheguemos seguros.

Um aviãozinho de papel cai sobre meu colo e vejo que é das crianças que estavam sentadas nos primeiros assentos, me lembrando dos meus irmãos e, logo da minha família, a qual tive que me distanciar como uma consequência do amadurecimento causado por minhas escolhas. Começo a observar então tudo o que está ao meu redor e percebo que todas as pessoas que estavam ali realizavam a mesma trajetória que eu, mas não saberia se ao chegar ao nosso destino continuaríamos juntos, o que me entristece pois, por termos compartilhado por tanto tempo a mesma rotina, e agora me vejo obrigado a talvez deixar pessoas importantes mesmo querendo que me acompanhassem em meu trajeto, para continuar recebendo seu suporte nos bons ou maus momentos.

Alguns dos passageiros, conheço há 7 anos, outros há 3, e outros há apenas alguns dias, mas suas importâncias se confirmam a cada dia, principalmente após o último encontro. Este o qual tivemos que trabalhar em conjunto para alcançar nossos objetivos e adquirir lembranças e boas experiências.

“Atenção senhores passageiros, estamos muito próximos ao destino final”.

Meus pensamentos se esvaem enquanto me levanto para recolher minha bagagem, só então noto o quão rápida foi a viagem. Acho que me perdi em memórias, o que me fez mais seguro sobre o que estou deixando para trás mesmo que com bastante saudade. Agora a ansiedade se torna maior que a insegurança ainda presente juntamente com o medo dos resultados de minhas decisões, sem saber se estas foram tomadas de forma correta e desconhecendo a que novos embarques me levarão, pois ao fim de cada viagem, uma nova se inicia.

           

 


DESTAQUES
 
 
     
 
ÁGUAS CLARAS
Ensino Fundamental 1 ao Ensino Médio
Av. Jequitibá, Lt 325
Águas Claras - DF
(61) 39689424
TAGUATINGA
Ensino Médio - 3° Ano
QND 30 Lote 2
Taguatinga - DF
(61) 39641912
Ensino Médio - 1° e 2° Anos
QNG 9 Lote 1 e QNG 11 Lote 2
Taguatinga - DF
(61) 39655005
Ensino Fundamental 2
A.E. Nº 26 - Setor G Norte
Taguatinga - DF
(61) 30416047
Ensino Fundamental 1
A.E. Nº 31 - Setor G Norte
Taguatinga - DF
(61) 37712650